RH

Pensamento data driven: o que muda na gestão do RH?

7 de julho de 2021

A transformação digital trouxe mudanças significativas para o RH. Hoje em dia, é praticamente impossível não pensar na junção do setor com a tecnologia, não é mesmo? Sem isso, os resultados podem ficar aquém do esperado e, até mesmo, gerar diversas falhas nos processos internos.

Uma forma de trazer o RH para a realidade atual tecnológica é adotar o data driven. Você já ouviu falar nesse termo? Continue lendo e saiba os principais pontos dessa verdadeira revolução na cultura interna dos negócios. Boa leitura!

O que é data driven?

O data driven é uma mudança de cultura nas organizações que permite trazer tomadas de decisões orientadas a dados no dia a dia. Com o avanço das tecnologias, principalmente por meio do Big Data, Machine Learning e Data Analytics, tornou-se possível avançar e trazer a possibilidade de minimizar falhas e potencializar estratégias.

Qual a importância do RH ser data driven?

O data driven pode auxiliar, também, na composição de um RH mais eficiente no dia a dia. Por isso, é importante que você identifique de que forma é possível garantir maiores benefícios. Vejamos a seguir os principais pontos.

Aumenta os acertos

As decisões passam a ser orientadas a dados muito mais do que por questões subjetivas ou de intuições e achismos. Assim, é menos provável que percepções errôneas conduzam a falhas que possam prejudicar os resultados do setor.

Diminui a subjetividade do setor

Um dos grandes problemas do RH é que ele trabalha, muitas vezes, com a subjetividade do gestor. Isso vale, por exemplo, para o recrutamento de novos colaboradores. Quando um gestor busca um perfil, ele pode achar que preenche o fit cultural segundo a sua própria percepção.

Um sistema focado para este fim pode analisar, de forma mais objetiva, se realmente a pessoa apresenta o perfil necessário para determinada vaga. Assim, diminui-se o grau de subjetividade tornando o setor mais estratégico.

Permite antever cenários de crise

O setor de RH precisa atuar de forma estratégica para conseguir antecipar cenários de crise que podem surgir, principalmente, no que diz respeito ao clima organizacional. Com os dados gerados por data driven, é possível fazer um acompanhamento mais próximo e, assim, saber como intervir antes que uma grande crise ocorra.

Isso vale, também, no que diz respeito à produtividade. Por exemplo, se, por meio do data driven, aponta-se que um determinado colaborador parece desmotivado, é possível intervir de forma mais assertiva para garantir uma gestão de pessoas mais eficiente.

Como implementar o data driven no RH?

Mas, então, como adotar o data driven no RH? Veja os principais passos a seguir:

  • entender que é uma mudança de cultura e, portanto, os colaboradores de RH devem ser treinados para esse novo cenário;
  • ter cuidado com a legislação vigente. Há normas atuais para obtenção, tratamento e armazenamento de dados, via LGPD;
  • modernizar os processos internos, utilizando soluções focadas para esse fim.

Para que o RH, de fato, incorpore a cultura data driven internamente, além de tudo que listamos anteriormente, é fundamental ter as tecnologias focadas para essa finalidade na empresa, com dashboards intuitivos. Por meio deles, é possível acessar todas as informações necessárias para adotar uma ciência de dados mais eficiente para o RH.

Achou interessante? Conhecia esse termo? Se não, aproveite esse novo conhecimento e compartilhe o conteúdo em suas redes sociais para que mais profissionais adquiram essa informação!