Você mais saudável

20 de Fevereiro: Dia Nacional de Combate às Drogas e ao Alcoolismo

18 de janeiro de 2024
Você mais saudável

20 de Fevereiro: Dia Nacional de Combate às Drogas e ao Alcoolismo

18 de janeiro de 2024
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email

Por Redação Alper Seguros

De forma a alertar a população a respeito dos riscos e das consequências danosas que o consumo de substâncias como álcool e drogas provoca na saúde e nas relações sociais e familiares, o Governo Federal estabeleceu o dia 20 de fevereiro como o Dia Nacional de Combate às Drogas e ao Alcoolismo.

Especialmente sobre o álcool, seu consumo excessivo é um problema de saúde pública global, responsável por cerca de 300 mil mortes/ano somente nas Américas, de acordo com dados da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS). Desses óbitos, a maioria (64%) ocorreu em pessoas com menos de 60 anos. 

Consumo de álcool: um problema global

De acordo com dados da OPAS (Organização Pan-Americana da Saúde), o consumo nocivo do álcool:

  • Causa 3 milhões de mortes/ano em todo o mundo (5,3% de todas as mortes);
  • Responde por mais de 200 doenças e lesões;
  • Causa morte e incapacidade nas parcelas mais jovens da população: 13,5% das mortes na faixa etária de 20 a 39 anos é atribuído ao consumo de álcool; 
  • Existem “relações causais” entre o consumo abusivo de álcool e a incidência de doenças infecciosas como tuberculose e HIV/AIDS.
  • Outras relações também existem na incidência de transtornos mentais e comportamentais, além de doenças não-transmissíveis e outras lesões.
  • Cerca de 10% da população brasileira sofre de alcoolismo.

O caminho para o vício

O consumo frequente e abusivo de álcool e outras substâncias pode levar à dependência química.

O caminho para o vício é parecido: a ingestão de algumas dessas substâncias traz sensações de prazer ao indivíduo. Com o uso recorrente, as quantidades tendem à aumentar pelo fato de que o organismo, por um lado, tende a aumentar a necessidade pelas reações de bem-estar e recompensa, enquanto vai desenvolvendo cada vez mais resistência. 

Esse desenvolvimento possui, além de caráter comportamental, um viés socioeconômico e político. A distribuição das drogas pode se dar de acordo com o perfil de cada sociedade em que é aplicada através de sua comercialização ilegal medidas por diversos parâmetros. 

Portanto, além da própria escolha pessoal de cada pessoa ao se deparar com a possibilidade do uso de qualquer droga, é importante ressaltarmos os acondicionamentos sociais que podem levar alguém a fazer o consumo delas. Por exemplo, o álcool é frequentemente utilizado para amenizar frustrações – das mais diversas possíveis – e o estresse, sendo esse um ponto muito forte na rotina de profissões muito exaustivas. Por outro lado, também é comum vermos o uso de substâncias alcoólicas em celebrações, colocando as bebidas como fonte acessível e barata para parcelas mais carentes da sociedade.

Todavia, por mais que a distribuição destas drogas e seu acesso sejam distribuídos de maneira não uniforme, é importante ressaltarmos que há uma regra comum: os malefícios que essas substâncias trazem para a vida das pessoas que se viciam e seus ciclos sociais.

Álcool e outras drogas: malefícios

  • Álcool

O uso do álcool é fator de causa para mais de 200 tipos de doenças e lesões. Associado diretamente com o risco de desenvolvimento de problemas de saúde, como distúrbios mentais e comportamentais, cirrose hepática, doenças cardiovasculares, alguns tipos de câncer, etc. 

Além de toda ação maléfica aplicada diretamente em quem faz seu uso, as bebidas alcoólicas estão muito presentes em casos de violência e diversos tipos de acidentes (principalmente automobilísticos).

  • Outras drogas

Em um aspecto mais amplo, há uma enorme diversidade de drogas – lícitas e ilícitas – que podem levar o usuário ao vício; algumas delas com maior facilidade, outras com maior dificuldade de recuperação ou ainda com maior poder destrutivo cognitivo. 

Todas essas substâncias possuem total capacidade de favorecer o aparecimento de diversas doenças, sejam elas de ordem mental ou ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis), insuficiência renal e hepática, endocardite, etc. 

Aspectos sociais no vício em álcool e outras drogas

De acordo com a Fundação Oswaldo Cruz, 20% das pessoas viciadas em alguma substância química possuem o primeiro contato com ela ainda na adolescência. A partir disso, é comum que as pessoas enxerguem o uso apenas como recreação, sempre mantendo a falsa ilusão de um completo controle em seu uso

Devido ao enorme estigma social que ainda existe ao redor da dependência química, seja ela ao álcool ou às drogas, a sociedade tende a apontar como culpada justamente à pessoa que se encontra doente na condição do vício. 

Para que possamos combater o acometimento desta doença na sociedade, é de extrema importância que pratiquemos a empatia, tanto para entender as circunstâncias que podem fazer alguém a ser dominado por este vício quanto para estender a mão e procurar ajudar alguém nestas condições. 

Como anda o seu consumo de álcool?

Buscar entender os próprios comportamentos e sentimentos em relação ao consumo de álcool é fundamental para quem busca uma maior compreensão a respeito do seus hábitos. 

Por que você bebe? Consegue estabelecer uma quantidade determinada que irá consumir em uma noite ou simplesmente não consegue parar? Já sentiu culpa ou remorso por ter ido a algum evento e percebeu que “exagerou na dose”?

Esses e outros questionamentos podem ser aliados poderosos numa reflexão madura e sem preconceitos a respeito da sua relação com o álcool e outras substâncias. Uma noite de bebedeira pode até ser considerada algo normal – porém em qual momento a exceção tem virado regra?

Se precisar, procure ajuda!

Entende que o momento é de repensar os hábitos? Procure ajuda. Há diversos programas gratuitos e mantidos nas esferas municipais, estaduais e federais que estão à disposição para oferecer ajuda qualificada e eficiente. 

CAPS

Os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) são mantidos pelo Governo Federal e presentes em diversas cidades do país. Trabalham no regime “porta aberta” – não existe necessidade de qualquer tipo de agendamento para acessar os serviços, mantidos por uma equipe multiprofissional. 

Neste mapa interativo do Ministério da Saúde você encontra o Centro mais próximo da sua casa.

BIBLIOGRAFIA

Álcool. Disponível em: <https://www.paho.org/pt/topicos/alcool>. Acesso em: 18 jan. 2024.

ALVES, B. /. O. /. 20/02 – Dia Nacional de Combate às Drogas e ao Alcoolismo. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/20-02-dia-nacional-de-combate-as-drogas-e-ao-alcoolismo/>. Acesso em: 18 jan. 2024.

Centros de Atenção Psicossocial. Disponível em: <https://www.gov.br/saude/pt-br/composicao/saes/desme/raps/caps>. Acesso em: 18 jan. 2024.

Dia Nacional de Combate às drogas e ao álcool. Disponível em: <https://www12.senado.leg.br/radio/1/noticia/2023/02/17/dia-nacional-de-combate-as-drogas-e-ao-alcool>. Acesso em: 18 jan. 2024.

Mobilização sobre os perigos das drogas. Disponível em: <https://www.conquista.mg.gov.br/noticia/mobilizacao-sobre-os-perigos-das-drogas>. Acesso em: 18 jan. 2024.

BLOG
CATEGORIAS
POSTS
POPULARES
CADASTRE-SE E
RECEBA NOSSA
NEWSLETTER

Quer se manter atualizado sobre temas que vão trazer resultados efetivos na gestão de custos, benefícios, seguros e pessoas? Se inscreva para receber nossa newsletter!

VcSaudável - Blog Alper_Carnaval

Partiu Bloquinho da Saúde: cuidados no Carnaval

VC+SAUDÁVEL - QUALIDADE DO SONO

Qualidade do sono: como dormir bem?

Header Vc+Saudável Janeiro Branco - Blog

Janeiro Branco

VcSaudável - Blog Alper_Câncer de Pele

Conscientização do Câncer de Pele

VcSaudável - Blog Alper_Saúde (1)

Carreira, Sucesso e Qualidade de Vida – Como Balancear?

Dr. Alper

Dia Nacional de Combate ao Racismo

Young good-looking mother snuggles and calming her newborn son who feeling scared after long sleep interrupted by loud sounds from street.

Prematuridade: saiba os cuidados que os pequenos necessitam

VcSaudável - Blog Alper_Saúde LGBT

Cuidados à Saúde da População LGBTQIAPN+

dia mundial da obseidade

Dia Mundial de Combate e Prevenção à Obesidade