CONSUMO CONSCIENTE DO SAL E AÇÚCAR

Tempo de leitura:3 minutos

Considerar alimentos como mocinhos ou vilões pode ser uma atitude perigosa. Um alimento pode sim prejudicar a nossa saúde, se consumido em excesso, mas a falta dele também pode nos causar problemas. Depende do contexto alimentar, isto é, as demais refeições que realizamos durante o dia.

O sal e o açúcar são amplamente utilizados como realçadores de sabor aos alimentos, e o uso frequente e descontrolado desses ingredientes está relacionado à causa de sérios problemas de saúde como o risco de doenças como obesidade, hipertensão, insuficiência renal, acidentes vasculares e diabetes. Cada vez mais as pessoas estão buscando uma melhor qualidade de vida, mas não devemos excluí-los por completo da nossa dieta, para uma alimentação equilibrada e saudável, necessitamos atentar para a dosagem no consumo desses produtos.

SAL: 

As palavras sódio e sal são utilizadas como se fossem sinônimas, mas não são, pois, o sal é composto além de sódio, também de cloreto, sendo que segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), recomenda-se o consumo diário de 5g de sal por pessoa (1 colher de chá), o que corresponde a 2g de sódio. No Brasil, esse consumo ultrapassa o dobro recomendado, em torno de 12 g de sal de cozinha.

O sódio é importante para manter o bom funcionamento do coração e dos músculos, entre outras funções. Se utilizado de forma abusiva pode agravar as condições de saúde dos hipertensos, aumentar o risco de infarto, formação de cálculos renais, envelhecimento precoce e retenção de líquidos. Já a redução drástica do consumo, abaixo de 5 gramas pode favorecer o risco de doenças cardiovasculares e desequilíbrio hormonal, segundo a OMS. Por isso, o equilíbrio é sempre a melhor opção.

O alto consumo de sódio vai além do uso exacerbado de sal de cozinha, sendo o aumento desenfreado do consumo de alimentos industrializados a principal causa destes sérios problemas de saúde.  Portanto, é importante analisar os rótulos e a lista de ingredientes que compõem os alimentos que consumimos, pois eles podem auxiliar e melhorar significativamente nossas escolhas e consequentemente impactar na nossa saúde.

A Organização Mundial da Saúde  lançou em maio de 2021 um novo conjunto de referências globais para os níveis de sódio em mais de 60 categorias de alimentos que ajudarão os países a reduzir o teor de sódio nos alimentos para melhorar a alimentação e salvar vidas. 

O guia “WHO Global Sodium Benchmarks for Different Food Categories” é direcionado a países e indústrias para reduzir o teor de sódio em diferentes categorias de alimentos processados. Em todo o mundo, o consumo de alimentos processados é uma fonte de sódio em rápido crescimento. A meta da OMS de redução de 30% na ingestão global de sal/sódio até 2025.

  • Dicas para redução do consumo de sódio:
  1. Não colocar o saleiro na mesa durante as refeições;
  2. Experimentar a comida ao salgá-la e utilizar o mínimo possível de sal nas preparações;
  3. Evitar consumir alimentos em conserva e alimentos industrializados de modo geral;
  4. Não utilizar produtos que contenham glutamato monossódico, que é um realçador de sabor presente em temperos prontos (em pó, pasta, tabletes), no molho de soja, macarrão instantâneo, nas sopas prontas etc;
  5. Substituir o sal por temperos naturais como cebola, alho, cheiro verde, orégano, coentro e limão.

AÇÚCAR: 

O açúcar é um carboidrato, nutriente responsável pelo fornecimento da principal fonte de energia para a atividade celular, a glicose. O açúcar também não é ingerido apenas quando adoçamos alimentos, mas ele está contido em muitos produtos, como o macarrão, pães, sorvetes, bolachas, molhos, iogurtes, bolos, etc. Daí, quando percebemos, já ingerimos muito açúcar ao longo do dia. Por isso, devemos buscar outras fontes mais saudáveis de carboidratos e utilizá-las, reduzindo ao máximo nosso consumo diário de doces em geral.

Segundo a OMS, o adequado seria manter o consumo de açúcar em 10% das calorias da dieta, ou seja, uma ingestão diária de açúcar de adição de até no máximo 50 g, mas orienta que o ideal seria consumir até 25 g/dia. Aqui no Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde, o consumo é de 80g/dia, ou seja, acima do que é recomendado para se manter um corpo saudável.

O consumo abusivo de açúcar e outras fontes de carboidrato favorecem o aumento do tecido adiposo, elevam os níveis de colesterol e glicose sanguíneos, podendo ter como consequência o surgimento de doenças crônico-degenerativas como diabetes, problemas cardiovasculares, câncer e obesidade. Além disso, o aparecimento de cáries nos dentes, e outros problemas de saúde.

Para redução do consumo de açúcar precisamos, assim como para o sódio, também observar os rótulos, e a lista de ingredientes que compõem os alimentos que consumimos, pois eles podem auxiliar e melhorar significativamente nossas escolhas e consequentemente impactar na nossa saúde.

  • Dicas para diminuir a ingestão de açúcar:
  1. Não colocar o açucareiro na mesa durante as refeições;
  2. Se você costuma adoçar os alimentos, procure ir reduzindo gradualmente a quantidade adicionada, até seu paladar se acostumar com pouco ou nenhum açúcar de adição;
  3. Evitar consumir alimentos industrializados de modo geral, como os já citados acima, dando preferência para alimentos in natura ou minimamente processados;
  4. Substituir doces por frutas, de preferência com casca e bagaço, porém, com uso moderado.

É importante não desistir nessa busca por uma alimentação mais saudável e mudança dos maus hábitos, o segredo está nas escolhas mais assertivas dos alimentos, reduzindo gradativamente o consumo de sódio, de açúcares e de alimentos industrializados de uma forma geral, para uma melhor qualidade de vida e saúde.

REFERÊNCIAS: 

https://www.paho.org/pt/noticias/5-5-2021-novos-parametros-referencia-da-oms-ajudam-paises-reduzir-ingestao-sal-e-salvar

https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/341081/9789240025097-eng.pdf

https://www.asbran.org.br/noticias/guia-da-oms-recomenda-reducao-no-acucar

https://www.ifsc.edu.br/noticia/2037659/alimenta%C3%A7%C3%A3o-saud%C3%A1vel-os-malef%C3%ADcios-do-sal-e-do-a%C3%A7%C3%BAcar

https://vivasaudeintegrada.com/2020/04/27/sal-e-acucar-perigo-para-a-saude/https://foodbizbrasil.com/saudabilidade/reducao-de-sal-e-acucar-nos-alimentos/#:~:text=A%20Organiza%C3%A7%C3%A3o%20Mundial%20da%20Sa%C3%BAde,devem%20ser%20provenientes%20deste%20item.

Newsletter imagem de fundo

Assine nossa Newsletter!

Notícias do setor e as últimas novidades da Alper em primeira mão para você: