Linhas Financeiras

3 motivos para a proteção digital ser prioridade na sua empresa

6 de setembro de 2019

No primeiro semestre de 2018, a imagem de Mark Zuckerberg assustado diante do Senado americano após o escândalo da Cambridge Analytica tornou-se o símbolo de uma série de discussões sobre privacidade e uso de dados. Ali, comprovou-se que a manipulação de dados foi determinante para os resultados das eleições americanas. 

O acontecimento teve impacto aqui no Brasil. Ele deu impulso para um Projeto de Lei da Câmara que tramitava no Planalto há pelo menos 6 anos e, no dia 10 de julho de 2018, o PLC 53/2018 foi aprovado pelo Senado. A chamada Lei de Proteção de Dados reconfigurou a proteção digital em nosso país.

Acompanhe o nosso post para entender os novos parâmetros de proteção de dados e a importância deles para a sua empresa!

Qual a importância da proteção digital no mundo dos negócios?

Todas as nossas atividades atualmente passam pelas tecnologias de informação. Sistemas automatizados, aplicativos e os dispositivos móveis utilizados no dia a dia são responsáveis pelo fluxo de milhares de informações que, hoje, são como o sistema circulatório das organizações. A estimativa é que, até 2020, existam mais de 20 bilhões de dispositivos conectados em todo o mundo.

Consequentemente, em empresas nas quais a proteção digital é negligenciada, os riscos de invasões são maiores, o que compromete não tanto as operações como a credibilidade das companhias. O escândalo da Cambridge Analytica, que recolheu dados de 87 milhões de usuários do Facebook, levou a empresa a encerrar suas operações.

O que diz a Lei nº 13.709/2018?

A proteção digital agora é uma norma para que sua empresa opere dentro da legalidade. O PLC 53/2018, do Deputado Federal Milton Monti (PR/SP), criou a primeira Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) pessoais no Brasil, a Lei nº 13.709/2018. Essa lei se inspirou no General Data Protection Regulation (GDPR), a regulação de proteção de dados gerais que foi implementada na União Europeia.

A LGPD complementa a Lei nº 12.965/2014, a qual estabelece “princípios, garantias, direitos e deveres para o uso da Internet no Brasil”. Ela busca proteger os direitos fundamentais de liberdade e privacidade, bem como o livre desenvolvimento da personalidade da pessoa natural. Para isso, estabelece fundamentos básicos para a regulamentação de dados, especialmente quanto à inviolabilidade da intimidade e imagem, ao respeito à privacidade e à liberdade de expressão. 

Por que se preocupar com a proteção digital na sua empresa?

Você vai descobrir a resposta dessa pergunta nos três tópicos abaixo.

1. Mais segurança

Uma pesquisa da Kaspersky revela que o Brasil é o sexto país mais vulnerável a vírus que coletam informações (ramsonwate). Em 2017, segundo a Symantec, foram mais de 64 mil tentativas de invasão por dia. Não se pode bobear diante dessa realidade, concorda?

Empresários e gestores já estão abrindo os olhos. Em um levantamento mundial feito pela Allianz Global Corporate & Specialty (AGCS), 38% dos entrevistados brasileiros disseram que os incidentes cibernéticos representavam o principal risco para os negócios.

2. Confidencialidade

Durante transações comerciais, interações em redes sociais e plataformas, clientes, fornecedores e colaboradores inserem (consciente ou inconscientemente) diversos dados pessoais e profissionais que eles confiaram à sua empresa. Além de fazer valer o voto de confiança dessas pessoas, a proteção digital garante que a sua organização tenha privacidade para trabalhar bem e surpreender o mercado.

3. Alinhamento com o GDPR e a LPGD

Como dissemos, a proteção digital se tornou uma condição para que as empresas operem dentro da legalidade. Graças ao GDPR, mesmo aquelas que não têm sede em um dos países da União Europeia precisam se adequar às normas para negociar com fornecedores e oferecer seus produtos e serviços na Europa. A LGPD também estabelece regras que sua companhia deve cumprir, sob o risco de graves sanções e comprometimento de imagem.

O caso da Cambridge Analytica mostrou que o mau uso de dados pode mudar os rumos de um país e coloca em risco a saúde das empresas. A proteção digital não só é um assunto central para o bom funcionamento das organizações, como também uma questão de confiança. Conte com a ajuda de um time de especialistas para garantir mais segurança e uma estrutura mais robusta para os seus negócios.

Gostou do nosso artigo? Curta a nossa página no Facebook para conferir mais sobre seguro de proteção de dados e risco cibernético!