Seguros Corporativos

A evolução dos Seguros para o setor energético

20 de fevereiro de 2020

É impossível prever o futuro com exatidão, mas é possível se preparar para evitar dificuldades que possam ser encontradas adiante que não comprometendo a operação e a estabilidade financeira da empresa.

Com uma análise de riscos séria e meticulosa, os gestores podem identificar as principais ameaças no setor de energia e saber quais os seguros mais adequados para sua proteção.

Neste artigo, vamos explicar por que os seguros para o setor energético são tão importantes, quais os principais riscos encontrados nesse mercado e os seguros que podem ser contratados para a proteção deste segmento tão relevante. Confira!

Por que seguros são tão importantes no mercado de energia?

A contratação de seguros é uma forma de controlar um risco potencial de uma empresa e proteger seu negócio de eventos que possam atingir sua operação e saúde financeira. Uma empresa do setor solar, por exemplo, pode ser impactada por múltiplas incertezas, como um longo período nublado ou até mesmo um dano material causado pela queda de uma árvore em seus painéis fotovoltaicos.

Sem a contratação de um seguro que possa ser acionado na ocorrência de um sinistro, a empresa tem, basicamente, duas opções: assumir o risco e operar com uma constante insegurança sobre o seu futuro ou provisionar uma grande quantidade de recursos para reparação e restauração imediata das suas atividades, o que nem sempre é possível e com certeza é muito mais oneroso.

Por outro lado, com um seguro contratado adequadamente, a empresa conta com coberturas que minimizam os prejuízos em um eventual sinistro, e por consequência traz estabilidade e a tranquilidade a operação apoiando e protegendo a empresa em caso de imprevistos.

Não é à toa que muitas empresas contratantes exigem alguns seguros antes de fechar negócios: é preciso ter garantia da capacidade financeira e técnica dos seus parceiros.

Existem diversos tipos de seguros para o setor energético, que variam de acordo com o papel de cada empresa na cadeia de produção de energia. Mas não é um exagero dizer que todas precisam pensar em se proteger.

Enquanto prestadoras lidam principalmente com ameaças relacionadas à geração, as distribuidoras devem se preparar para danos materiais em sua infraestrutura, como quedas de árvores em fios elétricos.

Naturalmente, o seguro sempre será importante para proteger as atividades que geram valor de forma direta para o negócio.

Existem seguros que atendem desde uma empresa geradora ou distribuidora de energia até companhias especializadas na fabricação de equipamentos utilizados em usinas eólicas e solares, por exemplo.

Quais são os maiores riscos do setor energético?

Existem inúmeros riscos que podem atingir empresas do setor energético, mas é possível agrupá-los em cinco conjuntos principais: despesas fixas e lucros cessantes; responsabilidade civil contra terceiros; danos materiais; garantias para operação e concretização das negociações de energia; e riscos climáticos. Conheça um pouco sobre cada um deles:

1. Despesas fixas e lucros cessantes

Este risco se refere à interrupção do negócio. Diversos tipos de acidentes podem causar a interrupção das atividades da empresa e de sua capacidade de gerar renda no curto e médio prazo.

Por exemplo: se o principal equipamento de uma geradora de energia eólica quebra, mesmo que exista dinheiro para a compra de um novo, a troca não é imediata e, durante a pausa, despesas como salários e impostos não param, gerando prejuízo causado pelo não funcionamento.

2. Responsabilidade civil contra terceiros

É importante se proteger contra danos causados a terceiros, ou seja, pessoas físicas, empresas ou outras entidades que sejam afetadas por um sinistro de responsabilidade do negócio. Por exemplo, em uma empresa de distribuição que possui postes de energia, o risco de um dos cabos se soltar e causar uma fatalidade é real.

3. Danos materiais

Danos materiais estão relacionados a qualquer tipo de sinistro que comprometa equipamentos, infraestrutura e outros bens, seja dentro da empresa, seja causado por equipamentos da empresa. Bons seguros são aqueles que cobrem as despesas necessárias para reparar ou adquirir o que foi comprometido, além de eventuais prejuízos causados pela pausa na operação.

4. Garantias para operação e concretização das negociações de energia

Garantias para operação são riscos relacionados à concretização de negócios. Quando uma prestadora entra em acordo com o governo, por exemplo, ela precisa prover certas garantias, que vão desde a entrega de um projeto até a performance do serviço. Com um seguro adequado, é possível cumprir com essas exigências.

Além disso, garantias também são necessárias quando uma empresa quer fazer negócios no mercado livre, que é a negociação de energia excedente que seria descartada.

5. Riscos Climáticos

Atualmente as empresas também são impactadas pelo efeito adverso do cliente que afeta diretamente a matriz energética e por consequência o giro do negócio.

Quais são os 7 principais seguros para o setor energético?

Como já foi dito, dependendo do tipo de operação e dos riscos enfrentados, cada empresa pode precisar de proteções diferentes. No setor energético, estes são os 7 principais seguros:

1. Seguro Garantia Licitante – BID BOND

Este seguro garante que a empresa participante de um processo de licitação tenha a capacidade técnica e financeira para participar da concorrência.

2. Seguro Garantia de Performance

O seguro garantia de performance é um tipo de proteção que garante todo o processo de construção e entrada em operação do projeto de geração de energia, algo exigido em licitações.

3. Seguro de Risco de Engenharia

Voltado para grandes projetos, esse seguro ampara o cliente em situações como acidentes na construção de uma usina hidrelétrica. O seguro protege a empresa durante todo esse processo de construção até a entrega da obra.

4. Seguro de Risco Operacional

O seguro operacional, como fica claro pelo nome, se refere ao processo de operação da empresa. O seu objetivo é proteger o negócio de um eventual dano, como incêndio, dano elétrico e outros. Todo e qualquer tipo de dano pode estar incluso na apólice desse tipo de seguro. De forma simplista, ele se assemelha a um seguro empresarial, só que com valores e limites muito mais expressivos.

5. Seguro de Responsabilidade Civil

O seguro de responsabilidade civil protege a empresa de danos involuntários, sejam materiais ou corporais, a outras pessoas. No exemplo do colapso de uma barragem que atinge a população, contamina um rio e causa outras consequências severas na região, a proteção inclui as indenizações para as famílias atingidas, a despoluição do rio, as medidas para minimizar o impacto do evento, a contratação de uma assessoria de imprensa e advogados, entre outras ações.

6. Seguro de Lucros Cessantes + Despesas Fixas

Esse tipo de seguro pode ser incluído na apólice de risco operacional ou ser feito separadamente. Na interrupção do negócio, as despesas fixas da empresa não param. Além disso, ela precisa se resguardar do lucro esperado que o negócio não vai ter nos próximos meses devido ao acidente.

7. Seguro Paramétricos – Índice de Risco Climático

É um seguro feito sob medida para atender às necessidades específicas do negócio do cliente, protegendo os resultados do negócio de oscilações climáticas.

O que considerar ao contratar um seguro?

O mais importante antes de contratar um seguro é que a organização saiba quais são seus principais riscos e conheça suas verdadeiras necessidades. Uma apólice subdimensionada é uma armadilha perigosa, em que os gestores da empresa acreditam ter algum tipo de proteção e, no caso de um sinistro, descobrem que o seu seguro não tinha as coberturas adequadas.

Por isso, é importante contar com um bom time de especialistas contratados, que envolva engenheiros e técnicos com experiência de mercado no setor energético. Essa equipe será capaz de identificar o tipo e o tamanho do risco, assim como sua probabilidade e impacto.

A recomendação, aqui, é contratar uma consultoria especializada em seguros no segmento para isso, já que a alta complexidade e especificidade da área demandam a atenção de profissionais de alto nível, que custariam caro em uma contratação permanente.

Como em diversos outros tipos de negócio, as empresas do setor de energia precisam de tranquilidade e estabilidade para operar, mesmo em um segmento com tantas incertezas. A contratação de um seguro é fundamental para que isso aconteça.

E agora que você já sabe da importância dos seguros para o setor energético, entre em conosco para solucionar qualquer dúvida com um de nossos especialistas!