Benefícios

People analytics: a importância do uso de dados na gestão de pessoas

20 de fevereiro de 2020

Quando falamos de tecnologia ou de estratégias para o RH, é muito comum encontrarmos uma referência ao People Analytics. Essa tendência tem sido utilizada em empresas nacionais e internacionais e se destaca por suas contribuições para a gestão de pessoas. No entanto, muitos ainda não entendem realmente do que se trata.

Os avanços tecnológicos facilitam cada vez mais o uso e a análise de dados em processos dos Recursos Humanos. Isso tem tornado as tomadas de decisão mais assertivas, pautando-as em fatores mais concretos. O People Analytics é um dos grandes elementos desse contexto, sendo um forte aliado para diferentes tipos de organizações. Se você quer saber mais sobre esse assunto, seus benefícios e dicas de como colocá-lo em prática, é só continuar lendo!

O que é People Analytics e como isso funciona? 

O People Analytics é, basicamente, uma metodologia de análise de dados apoiada em fatores como tecnologia e estatística, além de outros conhecimentos adequados, claro. Ao contrário do que muitos pensam, não se trata de uma ferramenta específica, mas sim de um método que conta com a ajuda de recursos, como softwares.

O objetivo dessa prática é trazer melhorias para a gestão das pessoas, tornando a empresa um lugar melhor para os colaboradores e favorecendo sua performance e seu desenvolvimento. Ela pode estar presente em diferentes situações, como no recrutamento e seleção, na atração e na retenção de talentos.

Por que usar dados na gestão de pessoas?

De modo geral, o People Analytics possibilita estratégias embasadas em análises de dados mais concretas, tornando processos mais assertivos e menos intuitivos. Ele também ajuda a lidar com a grande quantidade de informações, tanto dos colaboradores da empresa quanto dos candidatos em processos seletivos. Dessa maneira, há um aproveitamento melhor desses dados, favorecendo várias questões da organização.

Fica mais fácil identificar, por exemplo, informações sobre o que satisfaz seus funcionários. Assim, você pode saber como cuidar melhor do ambiente interno, adotando medidas que favoreçam a motivação e a satisfação das pessoas. Isso, por sua vez, contribui para o engajamento, a produtividade e a retenção de talentos.

Outra questão é que esse método agiliza e otimiza suas contratações, desde o momento do recrutamento e seleção. É possível utilizar ferramentas que ajudem a encontrar os candidatos que mais combinem com a organização e o cargo, por exemplo, o que já torna o processo mais certeiro.

Isso não significa que devem sempre ser contratadas pessoas parecidas, mas sim que elas estejam alinhadas ao fit cultural e às necessidades da vaga. Aliando o People Analytics com outras boas práticas de seleção, como entrevistas adequadas e testes psicológicos eficazes (aplicados por bons psicólogos habilitados), você aumenta sua margem de acerto.

Além disso, o People Analytics também pode ajudar no planejamento de treinamentos, pois permite ter mais informações sobre o perfil dos colaboradores. Apesar de todas essas contribuições, no entanto, é preciso ressaltar que essa metodologia não dispensa o fator humano. É necessário ter profissionais que analisem os dados e sua qualidade, analisando também, com crítica, as melhores decisões e estratégias a serem tomadas.

Um último ponto a ser lembrado aqui é a importância da proteção digital, que, assim como o People Analytics, é favorecida e possibilitada pelos avanços tecnológicos. É fundamental garantir a segurança de todos os dados colhidos, analisados ou armazenados, em qualquer situação. Isso envolve tanto as informações de gestores quanto de colaboradores e candidatos.

Essa questão será ainda mais reforçada pelas mudanças na Lei Geral de Proteção de Dados, que passam a vigorar a partir do ano que vem. Para se adaptar, já é importante começar a tomar medidas a partir de agora.

Como implementar o People Analytics no seu RH? 

A implantação do People Analytics deve acontecer de acordo com algumas especificidades, como o tamanho da empresa e os objetivos do uso dessa metodologia. É importante, também, compreender o funcionamento da gestão de RH atual para identificar adaptações necessárias. Para explicar com maior clareza, separamos algumas dicas básicas sobre essa implementação. Confira!

Mapeie dados e defina objetivos

Em primeiro lugar, é preciso mapear e analisar a qualidade dos dados que já são coletados e armazenados até então. Posteriormente, é necessário identificar os objetivos do People Analytics, as melhorias que se pretende alcançar com ele, as demandas e as oportunidades existentes.

É importante lembrar que os dados devem sempre ter qualidade, ser consistentes e detalhados. Implantar um programa de governância pode ser uma boa ideia nesse sentido, além de buscar outras práticas que contribuam para isso. É necessário, ainda, pensar nos recursos e no investimento que a organização pode efetuar.

Faça um bom planejamento

Com essas questões em mente, é preciso fazer um planejamento da implantação dessa metodologia. Deve-se identificar os dados e indicadores a serem coletados, armazenados e analisados para os objetivos traçados e, posteriormente, criar soluções que levem a isso. Vale ressaltar aqui que pode ser de grande valor contar com um profissional capacitado para auxiliar em cada fase dessa implantação.

Outra ideia é que, ao menos inicialmente, haja apenas uma equipe cuidando da aplicação do método. No entanto, é interessante que a análise de dados seja feita por uma equipe multidisciplinar, proporcionando uma visão mais ampliada. Tanto antes de começar quanto durante a prática do People Analytics é necessário manter os dados organizados.

Escolha uma plataforma de RH adequado

Um sistema de RH pode contribuir muito para o People Analytics, mas é preciso que seja feita a escolha certa. Conheça as opções de empresas fornecedoras, pesquise seu histórico e converse com quem já foi cliente, além de avaliar o próprio produto: verifique seu foco, sua qualidade e veja se as soluções oferecidas estão alinhadas aos seus objetivos, por exemplo.

Além disso, é essencial levar em conta o seu custo benefício, seguindo o orçamento da empresa mas não escolhendo uma opção por ser mais barata. Isso pode trazer uma série de prejuízos posteriormente, então fique atento. Observe ainda, seguindo essa mesma linha de pensamento, os custos e necessidades de instalação e manutenção.

Por fim, lembramos que a implantação do People Analytics é um processo e deve ser feita com calma. Será necessário treinar e capacitar os colaboradores que trabalharão com ele, além de conscientizá-los sobre a importância desse método e esclarecer dúvidas. 

Tenha paciência e faça tudo com cuidado e, aos poucos, busque criar ações efetivas com essa prática. Assim, você promove uma utilização otimizada da metodologia e dos dados na sua empresa.

Esperamos ter ajudado a entender um pouco mais sobre o People Analytics! Para acompanhar nossos conteúdos e novidades, não deixe de assinar a newsletter!