Saúde

Combate ao tabagismo: como incentivar a equipe interna a parar de fumar?

1 de junho de 2021

Embora esteja em constante queda, o número de brasileiros fumantes ainda é considerável. De acordo com dados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), o levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2019 mostrou que o percentual de adultos fumantes no Brasil era de 12,6%.

Diante das consequências negativas desse hábito, é importante entender como o combate ao tabagismo pode acontecer em diferentes contextos, inclusive no ambiente de trabalho. Por isso, vamos mostrar, neste artigo, qual o papel das empresas na conscientização dos colaboradores e o que pode ser feito para que todos consigam deixar o cigarro de lado em prol de uma saúde melhor. Boa leitura!

Quais são os malefícios do tabagismo?

O tabagismo é a dependência crônica do consumo de produtos à base de tabaco, cujo componente principal é a nicotina, uma droga psicoativa. Ou seja, ao chegar ao cérebro, ela causa alterações emocionais ou comportamentais assim como outras substâncias, como o álcool, por exemplo.

O potencial de vício da nicotina é bastante alto, mesmo quando comparado a outras substâncias químicas. Com o passar do tempo, a estrutura cerebral se adapta ao consumo da droga, e passa a demandar quantidades cada vez maiores para satisfazer o usuário como antigamente. Além disso, os sintomas da abstinência costumam ser bastante desconfortáveis, o que torna o abandono ainda mais complicado. Entre os principais, estão:

  • irritabilidade;
  • agitação;
  • mau humor;
  • ansiedade;
  • anedonia (incapacidade de sentir prazer);
  • dificuldade de concentração;
  • alterações no sono.

Além da nicotina, a fumaça do cigarro contém mais de 4 mil substâncias tóxicas, parte delas comprovadamente cancerígenas. Elas são, principalmente, o resultado da combustão do tabaco e acabam sendo lançadas diretamente nas vias aéreas do fumante por meio da fumaça inalada.

Por muitas décadas, o consumo de cigarros foi socialmente aceito em diferentes ambientes e havia até um certo encanto em torno do produto. Porém, com o passar do tempo, foram criadas relações entre esse hábito e uma série de problemas de saúde, o que fez com ele passasse a ser visto de outro modo.

A partir disso, autoridades públicas de saúde conduziram campanhas de conscientização que envolveram o aumento dos impostos cobrados sobre itens à base de tabaco, o veto a propagandas dessas empresas e a proibição do fumo em diversos locais.

Apesar dos esforços, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o tabagismo ainda mata todos os anos cerca de 8 milhões de pessoas. Por volta de 7 milhões de vítimas são consumidoras diretas dos produtos à base de tabaco, enquanto cerca de 1,2 milhões de mortes são causadas pelo chamado fumo passivo, quando alguém é exposto de forma frequente à fumaça de cigarros de outras pessoas.

O tabagismo é responsável pelo desenvolvimento de boa parte dos tumores de pulmão e tem papel importante nas chances de uma pessoa ter acidentes vasculares e ataques cardíacos. O fumo também exerce influência no desenvolvimento de câncer em outras partes do corpo, como boca, laringe, pâncreas, fígado, esôfago, estômago, traqueia, cólon e reto.

Além disso, esse hábito ainda contribui ou agrava o quadro de outras condições, como impotência sexual, infecções cardiorrespiratórias, infertilidade e úlceras gastrointestinais. No curto prazo, fumar compromete o paladar, o olfato e a capacidade pulmonar.

Por que é importante deixar de fumar?

No ambiente de trabalho, o tabagismo também traz consequências negativas, como não poderia deixar de ser. Quem fuma tende a perder mais dias de trabalho e ter uma produtividade menor. Tudo isso só reforça a necessidade da interrupção desse vício, como é possível ver a seguir.

Redução do absenteísmo

Parar de fumar reduz o número de faltas do trabalho, já que o colaborador tende a se ausentar menos em decorrência dos problemas de saúde que ele pode vir a desenvolver por causa do tabagismo.

Diminuição dos gastos com saúde

Infelizmente, os custos para tratar algumas das doenças provocadas pelo cigarro são altos, inclusive pelo fato de muitas delas serem crônicas. Além disso, elas ocasionam perda de produtividade, justamente pelas incapacidades e mortes prematuras geradas.

Aumento de produtividade

Largar o cigarro gera aumento na produtividade. Não só porque quem está bem de saúde consegue render mais, como também pela interrupção nas pausas que os fumantes fazem para fumar. Um levantamento feito no Reino Unido concluiu que essas paradas custam mais de US$ 14 bilhões por ano às empresas.

Melhoria no ambiente

Um ambiente livre do tabagismo é melhor para todos, inclusive para quem já não fuma. Esses colaboradores não sofrerão com o cheiro da fumaça e nem correrão o risco de se transformar em fumantes passivos.

Como as empresas podem contribuir no combate ao tabagismo?

Como a empresa é o local em que a maioria de nós passa boa parte do dia, ele pode exercer um papel fundamental no combate ao tabagismo. Veja então como isso pode ser feito de forma eficiente.

Campanhas de conscientização

É importante que a mensagem sobre os malefícios do fumo seja clara e transparente. Para isso, use os veículos de comunicação internos, como e-mail ou murais, por exemplo. Além disso, reforce que existem formas saudáveis para abandonar o vício e que não é preciso atravessar essa caminhada sozinho.

Desenvolvimento de políticas internas

As empresas devem também criar políticas internas para lidar de maneira empática e respeitosa com quem sofre dessa dependência química. Isso passa pelo acolhimento e pelo encaminhamento para os profissionais adequados, que auxiliarão no enfrentamento à dependência de forma adequada.

No longo prazo, essa política pode evoluir e as regras se tornarem mais rígidas. Com isso, a companhia pode mesmo se transformar em um ambiente livre de tabaco, onde o fumo é proibido em todas as áreas.

Programas de gestão de saúde

Os programas de gestão de saúde desenvolvidos dentro da empresa e os benefícios oferecidos devem sempre considerar o tabagismo um problema sério, que precisa ser tratado e que, para isso, exige acesso aos recursos adequados.

Com isso, o colaborador que já desenvolveu dependência à nicotina terá ao seu dispor o tratamento necessário, de acordo com o que for preciso. Diante do risco que o fumo traz, essa é uma ótima forma de investir na prevenção de doenças graves.

O combate ao tabagismo é uma tarefa complexa, mas que traz resultados significativos. Eliminar o consumo de cigarro garante aos colaboradores mais saúde, bem-estar e reduz as chances de enfermidades sérias, algo que ninguém deseja. Para a empresa, isso se traduz em redução de custos, maior produtividade e um ambiente de trabalho mais saudável.

Como a sua empresa atua no combate ao tabagismo? Conte-nos sua experiência deixando seu comentário abaixo.